“Elementar, meu caro Watson”: Testamos o Escape Hotel - Kultme

“Elementar, meu caro Watson”: Testamos o Escape Hotel

 

Por Mayra Bosco

escape hotel

São poucas as chances na vida de nos tornarmos verdadeiros detetives e desvendar os mais curiosos e quase indecifráveis mistérios. São oportunidades raras – e uma delas, singular, e capaz de agradar de amantes de Sherlock Holmes e das histórias policiais de Agatha Christie a amantes de aventuras e mistérios que exigem raciocínio lógico para serem resolvidos, é entrar no universo do ESCAPE HOTEL.

Situado em um charmoso prédio de três andares no bairro de Pinheiros, nessa metrópole agitada e sem descanso que é a cidade de São Paulo, o Escape Hotel é a primeira casa de jogos interativos 100% tematizada do Brasil e serve como um agente transformador, onde, logo a partir da calçada, somos transportados para um outro mundo: um hotel assombrado e cheio de histórias enigmáticas onde nunca se sabe o que irá acontecer ou o que há por detrás de cada parede.

 

escape hotel

Para quem não sabe, os jogos de escape – também conhecidos como jogos de fuga – são a febre do momento. Criados na Ásia com o intuito de proporcionar uma experiência imersiva estilo RPG, onde grupos entram em espaços temáticos para solucionar enigmas em 60 minutos, os escape games conquistaram fãs ao redor do mundo, com salas espalhadas pela Europa, Estados Unidos e agora no Brasil.

Mas há algo de especial no Escape Hotel, algo que foge do tradicional e do que vemos por aí nas concorrenters salas de jogos de fuga. No Escape Hotel, a experiência não começa apenas ao entrar na sala de jogo, mas assim que colocamos os pés na porta de entrada. Literalmente.

 

Um outro mundo

escape hotel

Saindo do caos da cidade, pisamos em um tapete vermelho na calçada e somos transportados para um mundo onde o mistério faz parte da decoração e onde cada participante é convidado a vivenciar experiências detetivescas dignas de livros e filmes de mistério. O prédio é 100% tematizado nos moldes dos tradicionais hotéis da década de 40 e 50, e é impossível ficar indiferente a isso. No Escape Hotel, cada detalhe conta.

O clima de suspense começa já na recepção, se estende para o saguão e embrenha-se entre corredores, paredes e até mesmo banheiros. As surpresas estão ao alcance do olhar, a cada mudança de direção, a cada movimento. Nunca se sabe o que se esconde pelas longas e largas cortinas que se espalham ao redor dos “quartos”, ou quem (ou o que) nos espreita por entre as frestas, atrás de cada porta…

Mas não é só isso. Não bastasse o clima de suspense, o Escape Hotel é recheado de referências inteligentes que vão desde o nome do “falecido” em uma das salas temáticas (Jack Torrance – de O Iluminado) aos números cuidadosamente escolhidos para cada quarto e até aos quadros que compõem a ambientação.

 

As salas

O Escape Hotel oferece três opções de jogos de fuga: A Loira do Banheiro (a lenda urbana mais famosa do Brasil); Cena do Crime; e O Templo. Cada espaço dedicado às histórias é tematizado de forma única e roteirizado exclusivamente para proporcionar a melhor experiência aos participantes. As narrativas também surpreendem até os mais experientes ‘detetives’.:

escape hotel

Em Cena do Crime, um assassinato a sangue frio ocorreu em um dos quartos do hotel e não foi encontrada nenhuma pista sobre o criminoso. Inconformada, a família da vítima contratou uma equipe de detetives (você e seus amigos) para resolver o caso. A missão é perigosa, mas não tem jeito. É preciso encontrar o assassino antes que seja tarde demais.

 

loira do banheiro

A Loira do Banheiro conta a história de Verônica, morta há 30 anos no banheiro da escola onde estudava. Sua alma vaga desde então, e muita gente não tem coragem de chegar nem perto daquele banheiro porque coisas terríveis podem acontecer. É hora de você e sua equipe encararem o medo e libertarem a pobre alma penada de Verônica, antes que ela pegue vocês!

 

templo

Já em O Templo, você e sua equipe de arqueólogos vão encarar uma aventura cheia de sobressaltos em uma antiga construção maia cujas paredes guardam segredos há muito esquecidos. A missão é resgatar o tesouro guardado por mais de 2000 anos. Muitos já tentaram e não conseguiram. Será que vai dar certo?

 

Detetives por um dia

cena do crime

Eu e meus amigos nos arriscamos como detetives contratados na Cena do Crime e a experiência foi além de qualquer expectativa. Em poucos segundos, não estávamos mais no século 21, mas em meados da década de 50 em um quarto de hotel, prontos para desvendar os mistérios daquele assassinato cruel.

Com a adrenalina em alta, nosso grupo de 5 pessoas (munidos com apenas duas lanternas) lutou bravamente até o fim, ávidos por desvendar o crime e vibrando a cada pista encontrada (não se iluda, o roteiro intrincado vai fazer você suar a camisa para descobrir os significados de cada uma delas) e com cada nuance, cada pequeno detalhe daquele quarto, daquela cena, daquela vivência.

Perdemos (e olha que, metidos de plantão, achávamos que seria fácil), mas o elementar paradoxo é que também ganhamos. Sim, não conseguimos desvendar o mistério, mas o pequeno Sherlock que habita em cada um de nós tornou-se real naqueles 60 minutos dentro da sala de escape, e saímos de lá excitados de tanta diversão – e ávidos para voltar. De novo. E de novo, e de novo, e de novo, até descobrir a identidade do assassino, até libertarmos a alma de Verônica e até regatarmos o tesouro escondido do templo.

escape hotel losers

 


SERVIÇO
Escape Hotel

  • Onde: Avenida Pedroso de Morais, 832 – São Paulo/SP
  • Horário: Terças a Sextas – 12h às 22h; Sábados, Domingos e Feriados – 10h às 23h
  • Preço: R$ 69 a R$ 79
    Idade mínima: 14 anos – Crianças a partir de 6 anos devem estar acompanhadas de um adulto
  • Capacidade: 4 a 6 pessoas por sala
  • Comodidades: Ar condicionado, Wi-Fi e estacionamento conveniado ao lado
  • Informações: www.escapehotel.com.br

 

 

 

Comente via Face