10 fatos que você provavelmente não sabe sobre 2001 Uma Odisseia no Espaço - Kultme

10 fatos que você provavelmente não sabe sobre 2001 Uma Odisseia no Espaço

2001: o mais clássico sci-fi há quase meio século

2001: o mais clássico sci-fi há quase meio século

 

Dia 2 de abril de 2017 o filme que é considerado por George “Star Wars” Lucas como a maior ficção científica já produzida pelo cinema faz 49 anos de idade – no Brasil, o aniversário é comemorado a 29 de abril. 2001 – Uma Odisseia no Espaço, dirigido por Stanley Kubrick e criado por ele com auxílio do escritor Arthur C Clarke, foi lançado no quarto mês de 1968, um ano, aliás, daqueles em que a história da humanidade andou com maior rapidez por muitos, muitos motivos – incluindo a estreia no cinema da história do astronauta Dave e da inteligência artificial, ou computador, Hal 9000.

Hal: "tô de olho"

Hal: “tô de olho”

A superprodução foi criada ao longo de três anos. Os primeiros anúncios de que Kubrick vinha trabalhando em uma sci-fi surgiram em 1965. Um dos nomes originais da produção foi outro – How the Solar System Was Won (Como o Sistema Solar foi Conquistado). Stanley e Arthur flertaram mais tarde com diversos outros títulos – em um informe enviado à imprensa ainda em 65 o longa era referido como Journey Beyond the Stars (Jornada pelas Estrelas) – e até onde se sabe o nome pelo qual hoje se conhece o clássico só nasceu em 66.

Além de muito tempo de maturação, o filme custou uma fábula para os valores de então – e, na verdade, até para algumas produções atuais. 2001 foi finalizado com custo superior a US$ 10 milhões – o orçamento inicial era de US$ 6 milhões – e o prazo de produção estourou em quase 1,5 ano. Só o set de filmagens que simulava a grande nave Discovery, criado por uma fabricante de aviões, custou astronômicos US$ 750 mil.

Quando o longa finalmente chegou às salas de exibição, a crítica ficou incerta. Muitos consideraram que se tratava de um potencial fiasco, enquanto outros o louvaram como genial. De qualquer forma, desde jovem o filme já mostrava que tinha potencial de criar polêmica. E é pela polêmica que se inicia essa pequena jornada por dez curiosidades pouco conhecidas sobre essa obra prima de Kubrick. Vamos lá:

1º Fato: Conspiração

As teorias conspiratórias que dizem que os astronautas Neil Armstrong e Buzz Aldrin, da Apollo 11, jamais pisaram na Lua ganharam seu primeiro grande fôlego com 2001. O primeiro pouso lunar ocorreu em 1969 e, logo, os conspiratórios começaram a dizer que as famosas imagens dos astronautas na Lua não passavam de montagens feitas por Kubrick usando sobras de cenas de 2001.

2º Fato: Tem mais 2001 por aí

Douglas Trumbull, que cuidou dos efeitos especiais do longa, conta que o total de filmes rodados foi 200 vezes maior que o utilizado na versão final de 2001. Onde está essa montanha de acetatos? Bem, dizem que Kubrick queimou os negativos originais após terminar a produção. Uma tragédia. Mas recentemente foram localizados 17 minutos desses restos de filmagens em perfeito estado. O local do encontro foi insólito: um mina de sal no Kansas. Cenários e objetos do filme também teriam sido destruídos pelo diretor por receio de que fossem usados em outras produções.

2001_rep

3º Fato: Macacos me mordam!

Parte do filme que mostra a evolução humana tem macacos atuando. Desde o lançamento há a crença de que se tratavam de reais chimpanzés – mas a verdade é que, exceto dois filhotes, todos os demais eram humanos travestidos de macacos ou meros bonecos.

4º Fato: Igual Casablanca

Sabe aquela sensação estranha que dá quando se tem certeza absoluta de algo e se é confrontado com a inexistência desse algo? Como no filme Casablanca: muita gente até consegue lembrar da Ilsa (Ingrid Bergman) falando “play it again, Sam” ao pianista, mas essa frase simplesmente não existe no filme. Em 2001 há outra destas “certezas” com Hal falando ao astronauta “Good morning, Dave”. Basta procurar na memória ou na internet para encontrar imagens e referências a isso, mas no filme a inteligência artificial jamais disse essa frase.

O monolito

O monolito

 

5º Fato: Falta um pedaço

A versão comercial de 2001 tem 142 minutos, mas originalmente tinha 152. Os dez minutos que faltam estavam no começo do filme, como um prólogo, filmado em preto e branco. Nele, alguns cientistas eram entrevistados e falavam sobre a possibilidade de vida fora da Terra. Stanley resolveu de última hora, após exibição do original a diretores da MGM, tirar a abertura. Até onde se sabe esse pedaço do filme se perdeu (ou foi queimado pelo diretor), mas seu texto foi preservado.

6º Fato: Tinha um IBM no caminho

Em 1961 Arthur Clarke visitou os famosos Laboratórios Bell e foi recepcionado por um computador IBM 704 cantando uma música – Daisy Bell – em uma das primeiras demonstrações de funcionamento de um sintetizador de voz. O escritor ficou tão impressionado que, anos depois, incluiu a música no repertório do Hal 9000, que a canta para Dave. A fabricante de computadores é também homenageada, lembra o leitor de Kultme Ricardo Nakagami, no nome Hal – o H vem antes do I, o A antes do B e o L antecede o M. Brincadeira marota ou merchandising?

Um dos macacos: acreditaram que era real

Um dos macacos: não, não eram chimpanzés

 

7º Fato: “Que diabos é isso?”

2001 Uma Odisseia no Espaço não é exatamente um filme “fácil”, e para as plateias de 1968 era menos ainda. Na pré-estreia do filme, feita a portas fechadas para VIPs, nada menos que 241 pessoas simplesmente caíram fora antes da subida dos créditos. Um dos caras que ficou marcado por ter escapulido foi o ator Rock Hudson. Dizem que ele saiu resmungando “sobre o que diabos” seria o filme.

8º Fato: Acredite se quiser

No final do filme, o astronauta Dave Bowman é mostrado envelhecendo rapidamente, até se tornar um senhor de aparência centenária. Acredite se quiser: há registros de que o ator Keir Dullea teve de passar por processos de maquiagem que duraram 12 horas para gravar as cenas de envelhecimento. Hoje seria bem mais fácil com as atuais técnicas de transformação digital, mas na época a coisa toda era feita na unha.

Maquiagem: quantas horas?

Maquiagem: quantas horas?

 

9º Fato: Ele era ela

Você provavelmente lembra da voz tranquila e seguramente masculina de Hal 9000. Surpresa: originalmente, Hal se chamava Athena, e tinha personalidade feminina. A mudança foi feita e Hal se tornou o que se tornou, mas se quer saber como ele soaria como mulher é só assistir o filme 2010 – O Ano em Que Faremos Contato. Nesta sequência de 2001 o computador se chama Sal 9000 e sua voz foi interpretada pela atriz Candice Bergen.

10º Fato: Me livra do ET!

Stanley Kubrick tentou firmar uma apólice de seguro com a seguradora inglesa Lloyd para se proteger de eventuais prejuízos caso inteligências alienígenas fossem descobertas antes do lançamento do filme. Parece maluquice ou piada, mas essa história foi contada com seriedade pelo escritor Arthur Clarke.

 

2001Ficou com vontade de ler ou rever 2001 Uma Odisseia no Espaço?

Pronto: que tal ler o livro original de Arthur C Clarke, no qual o filme foi baseado? Grande clássico do sci-fi, obra está disponível em edições impressa e e-book que você acessa aqui . Se quer assistir, o longa está disponível em DVD (veja aqui).

 

Comente via Face
,