3 Formas de tratar próstata aumentada

Quer saber como tratar a próstata aumentada? Então, confira nesse artigo 3 formas de tratar esse problema que, embora seja muito comum, é um verdadeiro incômodo entre os homens.

A próstata aumentada, ou hiperplasia benigna da próstata, ou ainda HBP, é um problema mais comum do que se imagina, que é quando a próstata aumenta de tamanho.

Apesar da gravidade do problema poder variar de caso para caso, se acredita que até 90% dos homens sofrerão de HBP ao atingir os 80 anos, e outros tantos apresentarão sintomas bem antes disso.

Muito pesquisada hoje em dia, em parte devido às campanhas de conscientização, essa doença possui tratamento, e mesmo podendo ser tratada, em alguns casos, na própria casa, é fundamental buscar tratamento médico.

Gostaria de avisar que além das dicas abaixo, o renovaprost funciona perfeitamente para prevenir e tratar algumas doenças da próstata, e ele é um suplemento 100% natural.

Confira abaixo as 3 formas mais comuns de tratar a próstata aumentada:

Mudando o estilo de vida

  • Invista em exercícios: é fundamental procurar manter uma vida saudável, com atividades físicas, mesmo que leves, como uma caminhada.
  • Consuma menos, ou evite, cafeína e álcool:bebidas como café, refrigerantes, energéticos, chocolate quente, chá, álcool e outros diuréticos podem enfraquecer a bexiga e agravar problemas urinários pré-existentes.
  • Exercite a bexiga: procure segurar a urina por mais tempo.Como os sintomas mais comuns da HBP incluem necessidade frequente e dificuldade de urinar, procure reeducar os músculos, trabalhando neles sempre que precisar ir ao banheiro, o médico poderá recomendar alguns outros exercícios.
  • Fique atento aos remédios que está tomando: descongestionantes, anti-histamínicos e outras substâncias podem agravar os sintomas da HBP com o tempo. Por isso, converse com seu médico antes de usar algum medicamento.

Tomando remédios

  • Para uma melhora imediata do sistema urinário, experimente tomar comprimidos de beta-sitosterol.Esse composto encontrado em plantas causa uma recuperação temporária, e pode ser encontrado em suplementos alimentares de venda livre .
  • Consuma alimentos ricos em beta-sitosterol, como sementes de abóbora.
  • Tome cápsulas de saw palmetto para ajudar a desinchar as glândulas ao redor da próstata, embora ele não sirva para encolher a próstata, pode ajudar a diminuir as glândulas em volta dela, evitando a produção da di-hidrotestosterona. Mas atenção, saw palmetto pode causar náuseas, vômito, diarreia, constipação, dores de cabeça, tontura ou impotência em algumas pessoas, por isso, não deixe de consultar um médico antes de tomar o extrato.
  • Peça uma prescrição para bloqueadores alfa-adrenérgicos para ajudar no relaxamento dos músculos da bexiga, aliviando alguns dos sintomas da HBP e facilitando na hora de urinar.
  • Para ajudar a diminuir a próstata, procure apelar para inibidores de 5-alfarredutase, que evitam que o corpo transforme a testosterona em di-hidrotestosterona, hormônio que causa o aumento da próstata. Embora sua ação não seja rápida, esse inibidor de enzimas pode encolhê-la com o tempo. Se quiser tomá-las, consulte um médico e peça uma receita de finasterida, dutasterida, toxina butulínica ou similares.
  • Invista em inibidores da PED5, para relaxar os músculos ao redor da bexiga. Converse com um médico para que possa prescrever o melhor medicamento, por segurança, nunca se auto medique ou combine remédios de venda livre, ou de prescrição, sem o consentimento de um médico.

Passando por procedimentos cirúrgicos

  • Embora seja um problema comum, alguns casos pedem um outro tipo de tratamento, como o RTUP, que é a Ressecção transuretral de próstata é o procedimento cirúrgico mais comum no combate à HBP, em que o médico insere um ressectoscópio na uretra do paciente, usando luz e eletricidade para remover o tecido interno da próstata. Geralmente, logo após o procedimento os sintomas da doença são aliviados, tendo que ficar de repouso e, as vezes, até usar um cateter, por isso, sendo preciso ficar no hospital por até 48 horas.
  • E quando a próstata está muito grande, nesse caso, geralmente, a indicação é um HoLEP, com um ressectoscópio a laser sendo inserido no interior da uretra, destruindo e cauterizando o tecido da próstata. O pós-operatório é bem curto, mas o paciente precisa usar um cateter por um a dois dias após o procedimento.
  • E caso o problema seja ainda mais grave, a indicação é fazer um TUIP, onde é feita uma incisão transuretral da próstata para tratar suas menores glândulas, principais responsáveis pelo bloqueio urinário. São feitas pequenas incisões ao longo do colo vesical, alargando a uretra. Após o procedimento, o paciente permanece no hospital por até três dias.
  • Em alguns casos, os mais graves, a única forma de lidar com o problema é através de uma prostatectomia, onde o cirurgião faz cortes na região do períneo, ou do abdômen, para remover partes da próstata. O pós-operatório é mais longo do que o de outros procedimentos, podendo levar de quatro a seis semanas.

9 Dicas para prevenir e tratar varizes

Quer saber dicas para prevenir ou tratar varizes? Então, esse artigo é para você! Confira 9 dicas para prevenir e tratar varizes.

Não é fácil ter que conviver todos os dias com aquela sensação de pernas pesadas, cansaço, queimação, dores, e enfim, desconfortos próprios de quem sofre de varizes.

Vale saber que varizes é um problema que afeta cerca de 38% da população brasileira, sendo que a mulheres são as mais atingidas. E isso pode ser explicado, em parte, pelas alterações hormonais e porque, nas gestações, o aumento do útero acaba dificultando o retorno do sangue venoso.

O fato é que as varizes surgem quando as válvulas venosas, por onde o sangue retorna das extremidades do corpo para o coração, perdem a elasticidade e dilatam não conseguindo mais realizar sua função. Com isso, o sangue começa a refluir, provocando mais dilatação e refluxo, formando as varizes.

Quando dilatadas, sua função fica comprometida, provocando dor, cansaço, inchaço, peso nas pernas e cãibras, e isso por causa da retenção do sangue nas veias dilatadas.

Toda essa dor e desconforto ainda são agravados pela estética do problema, interferindo, muitas vezes, na autoestima da mulher.

Uma boa notícia é que hoje já existe cremes para ajudar aliviar esses sintomas, e o Varigold funciona perfeitamente para diminuir as dores das varizes e diminuir o inchaço.

Causas das Varizes

A genética é a causa principal, mas ela não está sozinha, já que o excesso de peso, gestações e o uso de anticoncepcionais, bem como terapias de reposição hormonal e algumas atividades de trabalho, com longos períodos em pé ou sentado, também podem causar as varizes.

Mas, sem dúvida, a hereditariedade é a principal causa de varizes, com a pessoa nascendo com maior propensão para o problema.

Tratamento de Varizes

Não somente pela questão estética e dos sintomas, mas principalmente para evitar maiores complicações, buscar um tratamento das varizes é fundamental.

Felizmente, atualmente, já é possível contar com as mais modernas tecnologias como o Laser Vascular, que torna a cirurgia menos invasiva.

Vale saber que na cirurgia com Laser as veias não são removidas, mas sim cauterizadas, o que diminuir bastante o trauma cirúrgico, promovendo uma  recuperação pós-operatória bem mais rápida.

Quem tem varizes, portanto, deve procurar um cirurgião vascular, para diagnosticar qual é o melhor tratamento indicado e no caso de haver alguma contraindicação de cirurgia, podem ser aplicadas algumas medidas paliativas, como uso de meias elásticas compressivas e medicações que melhorem o retorno venoso.

Outras medidas podem ajudar a prevenir as varizes, desde a prática de exercícios físicos regularmente, não fumar, ter uma alimentação saudável, evitar o sobrepeso, controlar o uso prolongado de hormônios, elevar as pernas sempre que possível até, também, usar meias elásticas.

Dicas para prevenir as varizes:

Algumas dicas simples podem ajudar a prevenir as varizes, tais como:

  • Evitar o excesso de peso, apostando em uma alimentação equilibrada;
  • Evitar usar salto alto em excesso, pois eles atrapalham a circulação do sangue;
  • Consultar um médico antes de começar um tratamento com pílula anticoncepcional, e tirar todas as dúvidas;
  • Não ficar o dia inteiro na mesma posição, procurando se levantar e andar,para ajudar a liberar e estimular a circulação sanguínea;
  • Não fazer exercícios como musculação ou aeróbica de alto impacto, pois provocam uma maior tensão nos vasos e, consequentemente, a sua dilatação;
  • Procurar, sempre que possível, elevar as pernas, isso favorece o retorno venoso, já que os pés ficarão mais altos que o coração;
  • Não fumar, pois o cigarro é prejudicial a saúde e se combinado com outros hábitos não saudáveis pode causar varizes;
  • Usar meias elásticas;
  • Procurar um profissional assim que perceber o surgimento das varizes.

Diabetes gestacional

De uma forma geral, a diabetes gestacional é caracterizada pelo aumento dos níveis de glicose no sangue durante o período da gestação. Vale lembrar que ele pode ocasionar problemas tanto para a saúde da mulher quanto para a saúde do bebê, por isso é preciso estar atento.

Dentre os possíveis desdobramentos dessa condição, pode haver a sobrecarga dos rins e também quadros de hipertensão.

O fato é que as gestantes passam por uma grande variedade de alterações hormonais no decorrer dos nove meses de desenvolvimento fetal.

Nessa situação, o corpo passa a desenvolver insulina em maior quantidade, que é a responsável pelo transporte da glicose dos alimentos até as células.

Durante o último trimestre da gestação, isso tende a acontecer com maior intensidade, fazendo com que a mulher tenha que ingerir uma quantidade maior de carboidratos para que a criança possa se desenvolver adequadamente.

No entanto, o que ocorre é que os hormônios liberados pela placenta podem atrapalhar esse processo descrito, então, o pâncreas é obrigado a trabalhar dobrado para manter os níveis dessa substância dentro dos parâmetros adequados.

Quando mesmo esse esforço não é suficiente, acaba sobrando açúcar no sangue. É então que temos a diabetes gestacional!

Essa é uma condição que pode colocar também a vida do bebê em risco, que passa a receber uma grande quantidade de glicose através da placenta. Isso provoca uma sobrecarga do pâncreas do feto que, mesmo trabalhando ao máximo não consegue excretar hormônios suficientes para converter essa glicose em energia para células.

Esse excesso de açúcar acaba se transformando em gordura e o bebê passa a ganhar peso além do indicado.

O parto, os médicos efetuam o corte do cordão umbilical, que irá interromper o fornecimento do açúcar da mãe para o bebê. Como o pâncreas está no auge da produção de insulina, temos o risco de hipoglicemia, que é uma queda brusca na quantidade da glicose no sangue.

Sintomas da diabetes gestacional

Durante a gestação as mudanças são muitas no corpo da mulher e é por isso que muitas acabam não se dando conta de que algo não está bem no controle do açúcar. Dentre os principais sintomas, temos boca seca, vontade frequente de urinar e aumento doo cansaço.

Tratamento da diabetes gestacional

Essa condição exige que haja um acompanhamento bem específico, com a necessidade de avaliações regulares da curva glicêmica da mãe. Para que seja possível manter as os níveis dos hormônios normais, o médico ainda pode recomendar cuidados extras na dieta.

Uma dica é fracionar as refeições ao longo do dia e evitar a ingestão de gorduras. Mais do que isso, é importante apostar em legumes, verduras, frutas e alimentos integrais.